Maringá: Av. Euclides da Cunha, 1186 Zona 05 | (44) 3262-2662 Cuiabá: Av. Miguel Sutil, 8344 - Mezanino Hotel Gran Odara | (65) 3616-2025
Whatsapp (44) 98820-7785

ARTIGOS

Tempestade no Agronegócio: Standard & Poor’s.

Tempestade no Agronegócio: Standard & Poor’s.

Rebaixamento de nota pela agência de risco Standard & Poor’s poderá causar problemas aos produtores rurais que necessitam de financiamento rural.

No horizonte não muito distante já se pode notar a formação de tempestade com potencial de comprometer o setor agrícola. Após a reclassificação do Brasil pela agência S&P, onde lhe foi atribuída a nota BB+, os indicativos são os piores para o agronegócio, notadamente na tomada de recursos financeiros para financiamento da nova safra. Tudo indica que os recursos serão menores e que as taxas de juros serão bem maiores do que as atualmente praticadas, que pode comprometer o resultado econômico da safra que vai ser formada. Pois bem, se o dinheiro ficará menor e mais caro, o produtor rural já se coloca em estado de alerta e começa a repensar sua prática de pagar a dívida para depois contrair um novo empréstimo para custeamento da atividade. Afinal, retirar o dinheiro do caixa para livrar-se da dívida, para depois sair desesperado à procura de dinheiro menor e mais caro, pode comprometer a continuidade dos negócios caso ele, o dinheiro, não seja encontrado no tempo certo.

O produtor está sendo levado ao velho dilema de manter as dívidas, ficando com dinheiro em caixa para não correr o risco de parar sua atividade por falta de recursos para as compras da nova safra, ou zerar o caixa pagando a dívida pondo em risco a compra dos novos insumos.

Como a situação se mostra séria é preciso cuidado para não repetir erros do passado recente, e para isto o melhor caminho é procurar orientação jurídica segura para tomar as medidas judiciais que podem proteger o patrimônio.
Esta situação de risco é fruto de uma conjuntura de política de governo para a qual o produtor rural não colaborou em nada, mas sofre seus efeitos terríveis, de modo que deve procurar proteção na Lei para salvar seu empreendimento neste momento.

Desta tempestade, somente medidas judiciais bem estruturadas podem proteger o agronegócio.

Lutero de Paiva Pereira
Advogado sênior da banca Lutero Pereira & Bornelli. Pós-graduado em Direito Agrofinanceiro. Autor de 18 livros publicadas na área de Direito do Agronegócio. Coordenador de cursos online no site Agroacademia (www.agroacademia.com.br). Membro do Comitê Europeu de Direito Rural (CEDR) e Membro Honorário do Comitê Americano de Direito Agrário (CADA).