Maringá: Av. Euclides da Cunha, 1186 Zona 05 | (44) 3262-2662 Cuiabá: Av. Miguel Sutil, 8344 - Mezanino Hotel Gran Odara | (65) 3616-2025
Whatsapp (44) 98820-7785

ARTIGOS

Em defesa da Agricultura – (revista Veja, 2546)

Em defesa da Agricultura – (revista Veja, 2546)

A edição de 6 de setembro da revista VEJA (n. 2546) trouxe um ótimo artigo do colunista J.R. Guzzo sobre o agronegócio (Em defesa da agricultura: vamos comer o quê?). O link do artigo pode ser acessado clicando aqui, porém seu acesso, INFELIZMENTE, está aberto apenas para assinantes da revista.


No artigo, o colunista constata, através dos dados obtidos pelo CAR, que “poucos países conseguem tirar tanto da terra e interferir tão pouco na natureza ao redor dela quanto o Brasil”. E a partir dessa constatação, detona o discurso verde patrocinado por organismos internacionais e celebridades nacionais que pregam a necessidade de aumento da proteção ambiental contra o desenvolvimento do agronegócio brasileiro.


O jornalista explora o fato constatado pelo CAR (Cadastro Ambiental Rural) – em que, salienta, provado através de fotografias de satélite – que o Brasil tem apenas 10% de sua área cultivada. O resto são florestas ou cidades. E mais: que cada produtor deve conservar dentro de sua propriedade, sem nenhum subsídio do governo, no mínimo 20% de vegetação nativa. E que apesar disto, continua o colunista, nossa agricultura produz, em um ano, o suficiente para alimentar 1 bilhão de pessoas, em safras recordes de produtividade e eficiência.


Para o colunista, nossa produção agrícola garante ao país uma segurança alimentar que Japão, China, Inglaterra nem de longe possuem, o que, além de importante para o desenvolvimento do país, garante segurança para seus nacionais. Sobre este aspecto, vale a pena também o leitor consultar artigo já escrito no blog Direito Rural, parceiro do LP&B, sobre a venda de imóvel rural para estrangeiros (clique aqui), uma entrevista do Dr. Lutero Pereira para rádio CBN (clique aqui), uma ótima coluna de Renato Pereira sobre o “pito” que o Presidente Temer recebeu na Noruega (clique aqui) e uma reportagem do jornal The Washigton Post dando conta que de que a próxima guerra poderá ser por alimentos (clique aqui).


Concluo, então, citando J.R. Guzzo, "O Brasil, que até 1970 era um fazendão primitivo que só conseguia produzir café, é hoje o maior exportador mundial de soja, açúcar, suco de laranja, carne, frango - além do próprio café. É o segundo maior em milho e está nas cinco primeiras posições em diversos outros produtos." Com efeito, a defesa do agronegócio deveria ser algo inerente à todo brasileiro, como todo país desenvolvido, que defende ferozmente seus agricultores. Contudo, aqui no Brasil, o desenvolvimento do agronegócio parece um problema. Como alerta o jornalista, que busquemos informações e deixemos de confiar cegamente nas políticas enlatadas que nos são vendidas por organismos internacionais com interesses próprios, em grande parte apoiada pela nossa classe artística, “intelectual” e ambiental.


Tobias Marini de Salles Luz

Advogado especialista em agronegócio em Maringá/PR
tobias@direitorural.com.br


Fonte: Direito Rural.